Acesso à informação

Serviços  

   

Artigos e Publicações  

   

Artigos

"País vai virar canteiro de obras"

Detalhes

Jornal O POVO On Line

 

O presidente Lula disparou contra a oposição, a quem acusou de tentar impedi-lo de governar. E disse que continuará viajando pelo País, mesmo em ano de eleições.

 População, em Quixadá, enfrenta aperto para tirar uma foto ao lado do presidente (Foto: Evilázio Bezerra)

O presidente Lula garantiu que o ano eleitoral não irá impedi-lo de lançar programas e acompanhar obras. "Tem setores da oposição que estão indo à Justiça para evitar que se faça a política que eles deveriam ter feito há muito tempo atrás e não querem que a gente faça. Eu vou continuar fazendo porque fui eleito para governar o País", disse, durante a visita a Quixadá, a 168 km de Fortaleza, onde ele lançou, ontem, o programa Territórios da Cidadania. Foi o primeiro município visitado pelo presidente para lançar o programa. DEM e PSDB ameaçaram ingressar na Justiça contra o programa acusando-o de eleitoreiro.

 

Ao final de seu discurso na Praça José Barros, no centro da cidade, Lula disse que irá acompanha de perto as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). "Eu já falei para minha assessoria: a partir de agora são dois dias em Brasília e o resto andando pelo País para ver as coisas acontecerem", discursou. Segundo ele, são R$ 503 bilhões do PAC até 2010. "Esse País vai virar um canteiro de obras", disse Lula. Para ele, não há problemas lançar programas porque não há eleição para presidente nem para governador. As ações lançadas são parcerias entre os governos federal e o estadual.

 

O Territórios da Cidadania prevê investimento de R$ 191,9 milhões para o desenvolvimento de 61 ações de desenvolvimento sustentável, direitos e desenvolvimento social, saúde, saneamento e acesso água, educação, cultura e infra-estrutura. No total, de acordo com o ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, serão R$ 632 milhões para o Ceará em 2008.

 

Ainda em Quixadá, o presidente entregou 10 computadores na Escola Modelo do Município. Em seguida, Lula lançou a pedra fundamental do Campus da Universidade Federal do Ceará (UFC) e do Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet).

 

PAC

 

À tarde, já em Fortaleza, no estádio de futebol José Walmir Jorge/Valdemar Caracas, no bairro Bom Jardim, o presidente Lula assinou a autorização para o início de quatro obras de saneamento e urbanização do PAC. Ao todo, serão investidos R$ 54 milhões em projetos de ordenamento urbanístico e melhorias habitacionais da Lagoa do Urubu, Lagoa do Papicu, Campo Estrela e São Cristóvão. "O PAC é um projeto que tem início, meio e vai ter fim. Não faltam recursos; é só tocar a obra minha querida prefeita, meu querido governador, que o dinheiro está aqui e já está reservado", garantiu o ministro das Cidades, Márcio Fortes.

 

Já para realizar melhorias urbanas e ambientais nos rios Cocó e Maranguapinho, foi assinado contrato que conta com R$ 544,3 milhões, sendo R$ 393,6 de recursos oriundos do Governo Federal e R$ 150,7 como contrapartida do Ceará. O governador Cid Gomes (PSB) se referiu à prefeita como "parceira de luta e futuras conquistas" e disse que a oposição quer "sabotar" Lula. "Temos uma oposição que se cuida, 24 horas por dia, de tentar sabotar, travar, impedir uma pessoa como o presidente Lula", afirmou.

 

Lula ainda voltaria a provocar a oposição ao falar dos investimentos em saúde. "Os nossos adversários, que vocês sabem que é. Chamava-se PFL, agora chamado de Democratas. O outro vocês já sabem quem é (aparente alusão ao PSDB). Eles, no final do ano passado, derrotaram a CPMF e tiraram do Governo Federal R$ 40 bilhões. E tiraram porque pensaram: 'Se a gente deixar R$ 40 bilhões nas mãos desse governo, a gente não volta mais'", disse o presidente. (colaborou Marcela Belchior)

Daniel Sampaio - 29/02/2008

   

Galeria de Imagens  

   
   
© Projeto Dom Helder Camara